Livrai-nos dos humanos males...

A gente, sim, conhece os humanos deuses
Que tudo sabem sobre o mundo deles
E a todos sentenciam com dedos rijos
Escondidos de si mesmos sob fortes vidros

A gente reconhece as belezas do amor
Hoje em dia cada vez mais cheias de topor
Seriamente machucadas pelos deuses ditos
Que a tudo querem mesmo ver é destruído

A gente quer ver flamejar a chama da justiça
Ainda que ela hoje pareça apagada e fria
Para que cada um destes terríveis falsos deuses
Experimentem o veneno que emanam a inocentes

Deuses vãos e sem nome
Que vivem à sombra nos panteões
E se alimentam das lágrimas de gente de bem
Meros humanos semeadores de intelectual fome

A gente sabe onde eles residem
A gente entende como eles agem
A gente só quer acabar com essa desordem
Para que a paz surja sem eles que mordem

Uma vida sem humanos deuses covardes
Que só falam quando se escondem
Façamos dias livres de letras-maldade
Coloquemos outra vez amor no coração dos homens

Leonardo Távora