Palavras...

A vida é feita, sem dúvidas, de momentos. São momentos para viajar, para curtir, para trabalhar, para esquecer também. São da rotina natural do homem. Eu ousaria falar que a vida nada mais é que uma sucessão de momentos. Vivemos o presente, e por vezes nos esquecemos de aproveitar o nosso presente por ficar imaginando um futuro incógnito, ou por passarmos nosso tempo remoendo tempos passados. Claro que precisamos pensar em como será o amanhã, mas isso não nos deve paralisar ao ponto de esquecermos que, enquanto não colocamos nossos sonhos em prática no presente, nunca poderemos viver esse futuro que imaginamos.
É engraçado notar que para cada momento temos uma palavra que o define. Pode ser algo que tenhamos lido, ou uma palavra captada nas músicas que ouvimos. Palavras pequenas que traduzem um sentimento. Quem nunca ficou aéreo ouvindo uma sucessão de palavras com aqueles ritmos que gostamos? E aqui não falo só para os românticos, pois alguém que ouve rock daqueles pesados também expressa o que está sentindo, e muitas vezes nem é algo relacionado a uma revolta interior. Palavras podem unir pessoas por muito tempo, e também separá-las eternamente. São as palavras o caminho que nós traçamos para nossas vidas. Bem colocadas, abrem portas. Em momentos errados, as fecha.
E as palavras escondidas atrás das pinturas? Sim, porque uma imagem fala com você. Quem entende das artes plásticas costumam dizer que as melhores imagens, pintadas ou esculpidas, são justamente aquelas que conversam conosco. São as que nos trazem um sentimento que não sabemos explicar o modo como surgiu. Apenas olhamos, sentimos, admiramos... Daí nós colocamos tudo em palavras. Fazemos isso para tornar inteligível aquela obra de arte. Então usamos estas palavras para contar a alguém o sentimento que tivemos ao nos depararmos com o objeto que encantou os nossos olhos. Com palavras. Ainda que algumas vezes nossos sentimentos não possam ser compreendidos com as palavras do que o outro está sentindo.
Certa vez um amigo me contou que amor é uma palavra um tanto quanto genérica para explicar um sentimento nosso, que não necessariamente se manifesta em uma pessoa da mesma forma que aparece para outra. É verdade. Nossa sociedade é especialista em formar palavras genéricas para expressar sentimentos que, por serem da natureza humana, dificilmente surgirão da mesma forma para duas pessoas diferentes. Alguém que diz não poder amar, não está falando que não ama, mas que o sentimento que se sente não pode ser definido com a palavra amor. Mas pode ser algo como amar sim. Por que não?
Uma palavra não me diz nada, e ao mesmo tempo esconde tudo. Tudo o que eu vejo em seu olhar, mas que você não me diz com sua voz. Como a chuva sobre sua face, que esconde o mapa de algum tesouro. Palavras que trazem a verdade que eu quero te contar, a verbalização de tudo o que eu sinto, sejam para um bom momento ou não. Simplesmente são palavras. Os sons que emito e que podem ser eternizados se forem escritos em algum papel. Enfim, as palavras são a tradução do meu ser. É como eu consigo te dizer tudo o que eu quero lhe falar. Palavras. Apenas palavras!