Versões: "Os segredos de um amor"

Hoje quero pedir licença para apresentar uma coisa nova que estou tentando fazer. Versões de músicas internacionais. É muito complicado entrar nessa seara, pois hoje notamos certa falta de senso estético com a poesia das versões de hits internacionais. É preciso ter muito cuidado ao pensar em uma versão, pois, num mundo globalizado e com a internet, é muito simples traduzir uma canção, e notar que a versão em português fugiu completamente à proposta do original. Por isso, grandes canções, para serem imortalizadas em nossa língua também, precisam de muito cuidado e acabamento, senão serão estigmatizadas e esquecidas. 
Andrea Bocelli é um dos mais aplaudidos cantores líricos da nova geração, não apenas na Itália. Particularmente, eu o considero um grande intérprete, e um fabuloso letrista. Bocelli é dessas pessoas que procuram não ter preconceitos com os ritmos, e perpassa-os, trazendo suas influências para o clássico. Daí surgem coisas incríveis como Simplecemente, L’abitudine, Vivere (Dare to live), dentre várias outras canções que transitam entre os tons clássicos e a malemolência de outros ritmos musicais muito interessantes. 
A música é muito mais que um punhado de batidas que produzirão um som convergente. É, acima de tudo, um estado de espírito. É um veículo que eleva nossa alma, e nos faz ter sensações por vezes incontáveis. É mágico poder transformar poesias em sonoridades. Boa leitura!

Os segredos de um amor
(Il mistero dell’amore) 
Composição: Andrea Bocelli 
Versão em português: Leonardo Távora 

Eu que canto de noite ao olhar para o mar 
Eu converso com a lua pra entender os segredos 
Dessa história de amor 

Eu te sinto mais forte nas noites de verão 
Sinto as tuas palavras como belas faíscas 
Neste meu coração 

Dentro da minha vida 
Uma música toca 
Faço novas poesias 
Pra eu me lembrar de ti 

Oceano imenso de liberdade 
Dia de festa que eu não esquecerei 
O inverno frio não levará você da minha vida 
O meu desejo, a nostalgia... 
Quantos segredos tem o meu amor 

Prisioneiro do tempo, preso nessa memória 
Quero sentir o perfume infinito das rosas pela bela manhã 
Esta voz aqui dentro fala apenas de nós 
Como um tormento doce 
Este sonho distante não me deixa dormir 

Não é um canto de adeus 
É uma suave canção 
Uma orquestra que eu toco só para ti 

Oceano imenso que encontrará 
Nossos corpos nas terras d'África 
Um outro sol virá nos aquecer 

Vôo infinito sobre as cidades 
No horizonte há somente nós 
Um mundo novo, conhecer a dois 
São só os segredos desse amor 
Um mundo novo, percorrer a dois 
São só segredos...