Poema do Avião

Quilômetros além
Distante, portanto,
Está um alguém
A quem amo tanto

Abraços partidos
Sonho compartilhado
Lábios divididos
Amor bem guardado

Haja internet e telefone
Saudades até altas horas
Diálogo de dois insones
Pela madrugada afora

Fim de semana, dias santos
Passagem pelo aeroporto
Ponte aérea unindo cantos
Ressuscitando um coração já morto

Poucos dias, quase nada
Pra estar juntos outra vez
Vida bandida, amargurada
Um dia eu fico aqui, talvez

Segunda-feira já chegou
Despedida, saudade de novo
Peito doído, mal sarou
Solidão é um estorvo

Qualquer dia dou um jeito
De acabar com essa esparrela
Faço as malas satisfeito
E vou morar juntinho dela

Celso Garcia