Numa foto desbotada

Numa foto antiga, desbotada
O sorriso largo, o abraço amigo
A família unida, o lugar de infância
Que não existem mais

Onde está aquele abraço?
Por onde andam as pessoas?
Tudo se desbotou, como a foto
Culpa do tempo, deve ser

A bola e os pés descalços na rua
O esconde-esconde sobre a árvore
O beijo inocente que não roubei
Os eu-te-amos que nunca disse

Lá atrás eu acreditava em todos
Achava que o certo era sempre o certo
Que o sol nascia para todos
Que ser feliz era questão de querer

Memória delatora, cruel
Tudo isso numa foto velha?
Naquele tempo eu queria acreditar
Que poemas precisavam rimar

Celso Garcia