Mar de Palavras

Lá onde se nasce o sol
E o vento nos sopra
Encontram-se as palavras
De quem vive apaixonado
E passa dias sonhando
Tudo que acontece
Esperar o pôr-do-sol
Onde passa o vento
Eu me deixo levar
Para onde nascem as palavras
E eu acho as palavras tuas
Quero levá-las comigo, aqui
Não é justo que alguém
Por medo de errar
Não queira se apaixonar
E deva sempre se contentar
Com uma história tão normal
Sem uma vida pra sonhar
E onde se põe o nosso sol
Onde o vento vai descansar
Encontramos tanta gente
E em um mar de palavras
E entre tantas confusões
Ainda vive-se o amor
E não podemos nos contentar
Com as histórias sempre iguais
Dessas vidas pra esquecer
Vamos, enfim, nos afogar
No oceano de sentimentos
Que temos conosco
Que transbordamos em nós
E ao nos compartilharmos
Com todas as palavras desse mar
A gente sempre unido estará
Faremos ressoar o ar
Sigamos, enfim, a amar

Leonardo Távora