Meus Cílios

Ela tinha tudo para ser uma dessas garotas que não olha pra baixo, que não se importa, que são suficientemente boas sozinhas. Ela tinha tudo pra isso, mas não era. Escolheu ser bem mais que isso, ser bem melhor que isso.
Ainda hoje me pego encantada pelo seu sorriso, os cílios gigantes e a risada escandalosa.
Sempre vou me lembrar de vê-la no primeiro dia de aula de calça jeans rasgada, regata verde, all star e flor no cabelo, e secretamente dizer “quero ser amiga dessa garota!” e consegui.
Não cortava as unhas não apenas por estética, mas porque sabia que a cada manhã de sábado, tu irias me olhar com uma carinha manhosa e pedir para ficar arranhando tuas costas.
Naquela noite de festa, tu me puxavas pelo braço pedindo pra dançar, e dizia que me Amava a cada dois minutos... A bebida faz a gente ficar mais sincero que o normal. Que o seu normal, não é?
Nas aulas de educação física, era comigo que seu fichário ficava, e todas as suas canetas. Sempre que tu voltavas, tinha um bilhetinho te esperando.
Naquela festa sem noção no salão de festas do seu apartamento, enquanto tu choravas vendo fotos no teu notebook, eu abraçava o teu pescoço e te fazia carinho dizendo “shiiiiiu, vai passar!”
No acampamento de verão, fizemos salada de frutas juntas e ficamos horas meladas de leite condensado. Subimos morros e conversamos sobre cabritos.
Naquela noite de sábado, andamos de mãos dadas pela praia, e te convenci a ser forte!
Eu sempre vou me lembrar dos teus abraços, e de como você ficava me olhando toda vez que eu chorava. De como tu fazia eu me sentir “como uma modelo” só porque você era uma.
Dos teus cortes de cabelo, das cores do teu cabelo. Do teu perfume inconfundível e de como você guardava ele dentro da bolsa com cuidado. Do teu Amor por chocolates e do meu Amor por ti. Amor tão grande que eu te chamava de “Meu Cural de Milho”, que é de longe, um dos doces caseiros que eu mais gosto...
Tu és a minha Saudade encarnada. Aceitou-me como eu era, e sempre me quis assim, desse jeito, do teu lado o tempo todo.
Dizer que não vou te esquecer é tão clichê, mas por agora, enquanto estou longe de ti, é o que me resta...
Fico procurando fragmentos teus, pedacinhos que deixastes para trás, só pra te manter viva aqui comigo. Só pra deixar essa Saudade cada vez mais dolorida e incurável.
Ah, o que eu não daria agora só pra voltar no tempo e me cansar caminhando até a tua casa?
Deus sabe, oh se sabe... E espero também que Ele me ouça, e te traga pra cá, pra mim, logo logo.
E cuida dessas pintas, que elas são minhas.

Andresa Alvez