Lalu a menina que não sabia de nada em : O rio doce virou marrom

             

Lalu, uma garota esperta, sensata, estudada e especialista em tudo, menos em suas crises. Um belo dia de manhã, uma onda de barro devasta uma cidade, matando algumas centenas de pessoas, desabriga outros milhares e afeta o abastecimento de água potável de milhões, mas claro, Lalu ainda muito esperta decidiu que era o momento de esperar em se pronunciar, ao final, não era grave, afinal não era na França, não tinha franceses e o lugar não era turístico, totalmente sem importância pensou consigo, o Pimenteiro resolve.

Lalu, com seu fiel assessor, escudeiro e roteirista de stand up comedy bolam um discurso muito calmo, engraçado, bem alto astral, afinal o que são enchentes sem chuva, destruição não ligada a natureza, falhas humanas e coisas que somente atingem a população digamos menos glamorosa em pequeno distrito do estado mineiro.

Chegando na cidade, lalu exige uma água mineral, lógico, água para beber não teriam mais. Em um palanque improvisado Lalu, muito sensata, decide que é o melhor e mais apropriado hora de uma tirinha engraçada em seu melhor estilo free style, solta a pérola da vez em meio ao caos de proporções nacionais, afinal não é a cidade das Luzes, “O Rio Doce, que é Doce, agora está marrom da lama.” 

Sem mais comentários, última fala que um jornalista solitário e com uma estrela no peito fala ao fundo.

Marcus Campolina