Sede do fim

Sabe o que é o pior de tudo depois que você tenta se matar e sai sem sucesso? 
Isso sempre acaba se tornando uma opção.
Mesmo que você tenha prometido para os seus melhores amigos, para você mesmo, para todos a sua volta que te Amam.
Quando tudo começar a desabar, o chão tremer e a mão que você mais precisar não estiver por perto, você vai sentir essa sede.
Sede de acabar logo com toda essa palhaçada que a sua vida se tornou, sede de colocar um final silencioso em toda essa situação.
Você perde o orgulho que tem, a felicidade. Começa a perder tudo devagar.
E a cada passo que você dá, sua mente arquiteta o plano perfeito.
Os carros em ruas movimentadas, os topos dos arranha céus, pequenos comprimidos, grandes objetos pontiagudos.
Mas sempre, sempre tem algo que não te deixa fazer isso. Não, não é o medo, é algo muito maior que ele.
Uma força capaz de parar carros por você, de destruir cada arranha céu, de não te deixar ver cada comprimido ou tornar objetos pontiagudos inofensivos.
E de repente, o seu plano perfeito se torna ridículo.
Você desiste.
Mas a maldita sede continua...
E você só quer algo que faça tudo passar.
Você só deseja que o chão pare de tremer, que nada mais desabe, e que a mão que tu tanto precisa esteja por perto na hora certa.
Você só precisa de ajuda, mas pouca gente sabe disso. Só você sabe disso...

Andresa Violeta Alvez