Cafundó

Meu benzinho é daquelas moças
Criadas a pão-de-ló
Acorda cedo, dorme tarde
Apressada como só
Pra surpresa dela, fiz um convite
A cabeça da moça até deu nó
Quando a chamei pra conhecer
Minha família toda, lá em Cafundó

Ela é da cidade, eu da roça
Aí está uma baita diferença
Mas o amor, caro leitor,
Não faz disso desavença
A gente se gosta, quer ficar junto
Na paixão nós temos crença
Pra dar certo tem que ter respeito
E um bocado de paciência

Chegando em Cafundó
Minha linda ficou espantada
Nunca tinha visto tanta estrela
Numa noite enluarada
Se encantou com o céu azul
E também com a bicharada
Parecia criança descobrindo
Que não conhecia quase nada

Nadou no lago, subiu em árvore
Tinha que ver a empolgação!
Apanhou fruta do pé, comeu ali mesmo
Desconhecia a sensação
Assustou com capivara
Disparou o coração
Mas, depois de algum tempo
Já estava até colocando a mão

Sem falar na melhor parte
A simplicidade daquela gente
Que só de ver alguém querido
Já faz cara de contente
Meu amor gostou tanto
Dessas bandas que, de repente,
Quis se mudar mais eu pra Cafundó
E ser feliz daqui pra frente

Celso Garcia