Se/Te/Me Afastar

Repito várias vezes por dia para meus botões: - Eu não acredito e nem quero acreditar que você fez isso... De novo! - Me pergunto se é medo de sentir o que já sente. De se libertar para algo que sempre foi tão teu, algo que te fez sentir-se seguro.
As pessoas de hoje em dia não sabem o que é Amar, eles esquecem de se entregar de verdade! Dane-se se vamos sofrer, nos machucar!
Amor de verdade era o dos meus avós, 56 longos anos juntos. Com muita alegria, mas muita tristeza também. Naquela época eles não tinham isso de "não quero te machucar, por isso vamos terminar" ou "eu tenho foco em outras coisas, não posso Amar agora."
O Amor não te espera, você não pode deixa-lo guardado na gaveta da escrivaninha e tirá-lo de lá quando estiver pronto para isso.
Amor não bate porta, não pula janela, Amor brota. Quando a gente vê, já sente!
A cada minuto que passa sinto-me mais distante, e dói sentir isso como uma certeza, e não como um simples sentimento. É como se uma voz falasse para deixar assim, te deixar ir, seguir, dar com a cara num muro qualquer porque um dia tu vais voltar.
E talvez seja tarde demais, ou não. Talvez. Eu nunca sei.
Tu sabe o que sente, mas infelizmente não posso te convencer de se abrir, de me dar teu coração tão cheio de receios, de sonhos, de lutas, de segredos.
Eu me permiti, me deixei. Fui sua.
Sim, fui, por agora não sei mais se sou. Não sei se mereces me ter...
Quando tu te decidir, quando tu estiver pronto, quando deixares de ser tão inconstante nós conversamos.
Não te quero agora, nem longe, nem perto, nem aqui. Não te quero, e nesse instante, sinto como se não quisesse nunca mais.

"Sem mais eu fico onde estou
Prefiro continuar distante..."

Andresa Alvez