Inventando: "O reencontro daqueles dois"

A cena a seguir é mais uma tirada dos primeiros esboços meus escritos no sentido de contar uma história, ainda em 2003. Foi quando me sentei pela primeira vez diante do computador efetivamente para escrever uma história, com sequencia de cenas, que mostrassem uma trajetória, sentimentos e sensações. Tenho um carinho imenso por Paulo e seus três amores (Catarina, Nadja e Sarah), cada uma com um sentido e um questionamento diferente. Eu já publiquei aqui no blog algumas cenas com esses personagens aqui e aqui. Quem sabe um dia eu resolvo concluir essa história. Talvez dê mesmo um livro, ou algo para o audiovisual. 
Boa leitura! 

CENA: PRAÇA VERMELHA/ EXTERNA / DIA 

PAULO (32 anos, alto, magro, vestido com um terno claro, e barba curta pelo rosto) está andando pela Praça Vermelha, em Moscou, quando encontra SARAH (mais baixa, 30 anos, cabelos longos e levemente ondulados, corpo de bailarina) ali, passando. 

PAULO 
Sarah. Correndo como sempre, né? 

SARAH 
Sempre! Não dá pra parar. E você? Andando sem rumo a essa hora, Paulo? 

PAULO 
As coisas estão tranquilas lá na embaixada. 

SARAH 
Ué, vamos comigo ao ensaio do ballet? 

PAULO 
E eles deixam entrar estranhos para assistir os ensaios do grande Bolshoy? 

SARAH 
Ah... Tranquilo. Você não é um estranho. Tá comigo! 

PAULO 
Hmm... Agora sim eu me senti um homem importante. 

SARAH 
(rindo) 
Deixa de ser idiota, Paulinho. 

PAULO 
Tá bom. Vamos lá. Tô precisando mesmo acalmar minha mente. Muito probleminha pra resolver. Vamos deixando de lado até que junta tudo e vira um aglomerado. Daí dá dor de cabeça. 

SARAH 
Sei como é. Vamos? 

Ele oferece o braço e ela aceita. Eles vão andando até que Paulo vê CATARINA (29 anos, loura, muito bonita e bem vestida), um pouco distante. 

PAULO
(apontando para Catarina) 
Conhece? 

SARAH 
Quem? 

PAULO 
Aquela mulher loura ali. 

NOTA: Aqui a câmera foca no olhar de Sarah, e rapidamente fixa close em Paulo quando Sarah fala. 

SARAH 
(apertando os olhos para ver melhor) 
Ah. Catarina Motta Araújo. Amiga minha daqui. 

PAULO 
(depois de um tempo, surpreso) 
Ela... Ela é bailarina também? 

SARAH 
Não, não... Ela trabalha nessa área sua. Mas na ONU. Não pra um país específico. Tá aqui em Moscou há algum tempo já. É fanática por apresentações, e quis nos conhecer. Acabamos ficando amigas, nem sei ao certo como e quando. 

PAULO 
(para si, pasmo) 
É ela! E tá linda. 

SARAH 
Que você disse? 

PAULO 
É ela, Sarah. A minha Catarina. Meu amor de anos. 

SARAH 
(com ar levemente decepcionado) 
Ela é aquela Catarina que foi embora? 

PAULO 
A mesma. Eu estava em dúvida. Quando olhei alguma coisa me chamou a atenção. Mas aí você falou o nome dela. Motta Araújo é o sobrenome dela. Igual ao do pai. 

SARAH 
Tem certeza, Paulo? Já tem tanto tempo... 

PAULO 
Preciso encontrá-la. Você me ajuda? 

SARAH 
(desconcertada) 
Ué... Ajudo. Posso falar com ela e... 

PAULO 
Ótimo. Eu sabia que podia contar com você, Sarah. Você é como seu irmão, amigos do peito e pra todas as horas. 

SARAH 
É... Somos sim. (desconversando) Vamos pro ensaio? 

PAULO 
Vamos. Mas me conta mais dela? 

SARAH 
Ah, nem sei muita coisa., só que vive aqui em Moscou porque tá numa missão especial. Essas coisas da diplomacia... 

A música vai substituindo a voz dela, enquanto eles andam, agora de costas para a câmera.