Olhe aquela lua

Que sensação é essa
Que me invade, me aquece e me inspira
Que me faz sentar e rabiscar versos
E assim eterniza poesias
Ainda mais quando estou distante
Quem sabe o que você estará aí pensando
Lendo essas combinações que escrevo
Pensando se vale a pena tentar


Se acalme que está tudo tranquilo
Eu te digo: “Continue a sonhar”
Para os sonhos não existem grandes distâncias
Eu acho que somente as que nós colocamos
É melhor saber que não estamos sozinhos
Mesmo que os desafios sejam desanimadores
Mas, olha, eu acredito
Tudo muda na vida em um minuto
Vamos nos atirar

O futuro virá
E em um momento olharás
Tudo o que viveu
Apenas ria
Mesmo que tenha deixado fragmentos
Até os que você não queria que lá ficassem
E nas mudanças que vem
Quem sabe num desses golpes da nossa vida
Quando menos se espera estaremos ali
Seremos então um só

Você espera
Mas não sabe o que aguardar
Sei muito bem o que esperar da vida
Se olhe, se veja, está envelhecendo
“Não me importo de ver a vida passar”
Mesmo que amores não vivam pra sempre
É preciso levantar e ter ânimo pra caminhar
Tá bom... Olha só...
Eu também aprendi a voar

Entendi
Ninguém mais faz meu coração de brinquedo
E assim eu vivo mais
Com as alegrias e sem guardar rancor
E se alguém desalmado quiser vir machucá-lo
Te digo que vai dar com a cara no muro
Sem dó eu faço assim

Olhe aquela lua
Tão bela como ver você
Agora, olhe...
(além de tudo que já escrevi)
Me veja...

Leonardo Távora