Inventando: "Ouvindo o amigo"

Este mês a cena não é de audiovisual. É um texto para Teatro. Nesta cena, Letícia, atriz de teatro e nossa heroína, conversa com seu amigo e parceiro dos palcos Tino sobre Rafael, um amor que estava quietinho no passado, mas que resolveu aparecer quando eles foram se apresentar na cidade dele, cheio de encantos e carinho com ela, que tem problemas para acreditar nesse amor. 
Boa leitura!

---------- 
CENA: QUARTO DE LETÍCIA / INTERNA 

Alguém chama na porta do quarto de Letícia (23 anos, branca, olhos e cabelos castanhos e um vestuário muito despojado). Ela vai abrir e é seu amigo Tino (30 anos, mulato, olhos e cabelos negros e um vestuário mais casual)

LETÍCIA 
Oi Tino. 

TINO 
Ih, já vi que to chegando em má hora. 

LETÍCIA 
Que nada. Não tinha momento melhor pra você chegar. 

TINO 
Ué, a saída lá com o bonitão das flores não foi boa? Achei que você nem voltaria pro hotel hoje. Tava até comentando com o pessoal... 

LETÍCIA 
Que pessoal? Ai, Tino língua grande. Já foi falar pra todo mundo do Rafael. 

TINO 
Falando nada! Você acha mesmo que só eu vi o cara chegando lá no palco com aquele buquêzão perguntando por você? Claro que não, né. 

LETÍCIA 
O Rafa não tem jeito. Sempre foi assim, sabe, daqueles românticos rasgados? 

TINO 
E vai dizer que você não gostou! 

LETÍCIA 
Não é questão de não gostar. É que ele é demais. Não tem um ponto de equilíbrio, sabe? O Rafa não tem freio. 

TINO 
Será que você quer botar freio nele porque tem medo de se jogar assim de cabeça, como ele faz? 

LETÍCIA 
Não... Não... Não é assim... Tem nada disso... 

TINO 
Letícia!? 

LETÍCIA 
Ai, Tino, não tem como isso dar certo. É meio impossível, sabe? Eu já tentei. 

TINO 
Mas ele já soube pela sua boca que é impossível? 

LETÍCIA 
Assim, diretameeente, acho que não. Mas, cara, eu dou muito a entender. Dou sinais. 

TINO 
Será? 

Letícia olha para Tino, sem saber o que dizer e sem entender o real motivo da pergunta do amigo. 

TINO 
Você se acha a fodona, né? Aquela que diz tudo com o corpo, que todos entendem o que você quer... 

LETÍCIA 
Você veio aqui para me ajudar ou jogar pedra? 

TINO 
Não é isso, Lê. É que quanto mais apaixonadas as pessoas estão, menos elas enxergam o que não é literal. Sabe quando falam que o amor cega? então, não é uma cegueira ao pé da letra, mas passamos a não ver tudo o que não é interessante ao nosso sentimento. É como um chefe que adora ser bajulado. Se tem alguém dizendo coisas boas, ele nem vai dar ouvidos ao pessimista que está vendo a real dimensão dos problemas. 

LETÍCIA 
Então eu preciso falar pro Rafael que não o quero de jeito nenhum? Vou ter que dizer isso a ele. 

TINO 
E a você também, né! 

Letícia olha impressionada. 

TINO 
Não me olha assim. ali tem um espelho e você pode olhar para si mesma e dizer diante do seu reflexo se é isso mesmo que quer. 

LETÍCIA 
Mas é isso que eu quero. é isso... 

TINO 
Olha só. tá vendo. Você não consegue nem convencer a si mesma. Pra que vai lá falar pro cara que não o quer e depois ficar correndo atrás dele. 

LETÍCIA 
Eu vou embora pra longe. O Rafa só veio me ver porque estamos na cidade dele. Tem tempo que não nos falávamos. 

TINO 
Tem tempo? E ele chega com aquele buquê enorme e um olhar mais que apaixonado pra você? Cuidado, Lê, porque homem dedicado assim não se encontra na esquina. Se ele fez isso é porque te ama muito, mas muito mesmo, entendeu. 

LETÍCIA 
Mas a nossa vida é muito complicada, Tino. E eu jamais pediria ao Rafa que abandone sua vida e me siga. Nem eu largaria tudo para o seguir. E ele também não faria isso se eu pedisse. 

TINO 
Já perguntou isso a ele? 

Letícia abaixa a cabeça e faz sinal negativo para Tino. Ela senta na cama com um ar triste. Ele senta ao seu lado e a abraça forte. 

TINO 
Fica assim não, Lê! Procura não se convencer do contrário do que seu coração tá dizendo. Só isso. 

Eles permanecem abraçados até que as cortinas se fechem totalmente.