Inventando: "A Posse"

Olá, pessoal! Mais uma vez tenho o prazer de trazer aos leitores do blog uma cena original. Agora, resolvi caminhar pelo ambiente político, retratando uma posse não convencional, haja vista que acontece por uma renúncia amigável, e não pela vitória eleitoral. Henrique precisou renunciar para ser candidato a Presidente. Assume o vice, Valter, que deverá levar o governo pelos meses seguintes. Os pretendentes ao cargo são Gregório e Alexandre, que são do mesmo partido e disputam a indicação para ser candidato. 
Boa leitura!
------ 
Palácio / Interna / Dia 

HENRIQUE (52 anos, mas muito apresentável) continua fazendo seu discurso. A câmera faz uma panorâmica dele falando, com VALTER (66 anos, meio careca e magro) atrás dele, atentamente. Durante a cerimônia, vemos GREGÓRIO (52 anos, maum pouco mais gordo e alto) e CATARINA (47 anos, muito bem maquiada e muito bem vestida) sentados, e uma cadeira vazia ao lado de Gregório, onde ALEXANDRE (44 anos, bonito, aparentando ser praticante de esportes) deveria estar. 

HENRIQUE 
Durante meu governo, muitas conquistas foram possíveis em nosso estado. (ele olha para Valter) Me sinto muitíssimo orgulhoso de poder passar o cargo ao meu vice, certo de que o ciclo aqui será completado com chave de ouro. Valter sempre foi um parceiro de primeira hora. Tenho a certeza de que fará um mandato, ainda que breve, muito positivo. 

Todos aplaudem, enquanto Henrique vai até Valter, dando-lhe um abraço e se posicionando para as fotografias. Em seus lugares, VALENTINO (43 anos, gordo e usando óculos) e LUÍS ANTÔNIO (50 anos, magro e muito alinhado) conversam. 

LUÍS 
Olha lá a cara de satisfação do Gregório. 

VALENTINO 
É... Se o Alexandre não chegar com uma boa desculpa, é um a zero para o adversário. 

LUÍS 
Tenho certeza de que ele tem uma saída daquelas, meu amigo. 

VALENTINO 
Eu espero. Ah... Como eu espero. 

A cena vai para a lente de uma câmera, onde uma repórter fala sobre a troca no comando do estado. 

REPÓRTER 
Henrique Cordeiro não é mais governador do Estado. Ele acaba de transmitir o cargo ao vice, Valter Villa, que assume um mandato tampão de nove meses. Henrique deverá ser o candidato do PN à Presidência da República, e precisou se desincompatibilizar do cargo para concorrer ao pleito. Segundo fontes ligadas ao PN, o novo governador não sairá candidato à reeleição. O Partido deve indicar outro nome para a cabeça de chapa. 

Eles vão saindo, quando Alexandre chega. Ele chega todo alinhado, mas visivelmente apressado. Henrique, Valter e Gregório estão juntos, no mesmo quadro. Henrique tem um semblante de surpresa, Valter está indiferente, mas Gregório aparenta uma leve satisfação, mas sem perder a linha. 

HENRIQUE 
Onde você estava, Alexandre? Era importante que os dois pré-candidatos estivessem aqui. 

ALEXANDRE 
Eu não estava aqui porque tinha que cuidar de pepinos, Henrique. Ou você acha que eu deixaria o governo explodir de problemas só pra colocar a gravata e fazer cara de paisagem pra enfeitar a foto? 

A cena vai para os mais afastados Valentino e Luís Antônio, que se viram, escondendo o rosto para eles, mas mostrando para a câmera. 

LUÍS 
Nooossa! Chute no saco essa. 

VALENTINO 
Não olha agora, mas parece que o sorrisinho contido do Gregório acabou de sair pela esquerda. 

A cena volta para onde Henrique está. Gregório faz menção de dizer alguma coisa, mas Henrique o detém com a mão. 

HENRIQUE 
Gente, por favor... Na frente da imprensa não se discute. Aqui não é lugar pra vocês lavarem roupa suja. 

Eles entendem. Alexandre se junta ao grupo, e eles vão saindo para uma área de coletiva de imprensa do palácio. 

CORTA PARA