Madre

Sentado no mato, espero.
Os dias me fundem ao barro
Palmo por hora
Sentado no mato, espero.
Um dia tua fome de gente e asfalto
Será saciada
E eu vou estar te esperando
Com o meu Amor que é rural
Feito pra colono que és.
Claudio Rizzih.