As Belezas pela Internet: "O prédio"

Mais um mês se inicia aqui no blog, e sempre tenho muita alegria nesta seção, pois faço aqui uma reverência ao que leio de outros blogueiros, ou me chegam. É importante mostrar textos bem feitos, que despertam sentimentos nas pessoas que param para nos ler. Num país em que já sofremos tanto com a inexistência do hábito de ler é importante divulgar sempre quem cria histórias, e mostra ao mundo seu olhar sobre as vida. O escolhido do mês é, mais uma vez, o Thiago de los Reyes, do Shoebox. É um escritor que consegue verdadeiramente colocar sua alma em suas prosas poéticas. Sempre com um jeito muito particular de olhar a vida, Thiago nos brinda sempre com pérolas literárias como a que se segue.
Boa leitura!

O Prédio
Por Thiago de Los Reyes

Você passa uma vida inteira construindo... Confiança, amor, amizades... Transformando os sonhos em tijolos concretos.
São cálculos, estimativas... Uma busca interminável pelos melhores materiais...
Mas o vento é imprevisível e um dia chove.
Um dia o mundo acaba... E ai depende das escolhas que foram feitas, se era cimento ou areia, se era ferro ou madeira, se era flor ou espinho.
Quanto mais tentarmos controlar o que não cabe numa caixa, quantas vezes mais desejarmos contar as gotas da chuva, mais a vida dará voltas, mais vezes a montanha-russa andará de cabeça pra baixo. Há quem grite... Há quem tenha a consciência de que a vida apertou as travas de segurança.
Um passarinho é bonito porque pode voar pra qualquer lugar, quando o colocamos em uma caixa é pior que cortar suas asas... 
Às vezes não tem jeito, nem todo o conforto e o espaço de um apartamento nesse prédio é suficiente aos olhos de quem nasceu pra ser livre. Mas nem por isso temos que derrubar tudo e recomeçar, esse apartamento, antes de qualquer um, é seu e é muito importante que ele tenha a sua cara, seus traços nos detalhes porque quem chega traz sempre alguma quinquilharia pra espalhar e a consciência do tempo que se dedicou pra se construir esse espaço vai falar mais alto e não vai permitir que do outro lado da cama se deite um alguém menor que o tamanho dos seus sonhos.