Desiste

Não sei a respeito de quem surgiu antes desse "Amor". Mas sei que quem apareceu depois de seus 16 invernos chegou tarde. Muito tarde! É mais ou menos como quando você tem uma consulta muito urgente com um médico, e você chega horas atrasado. A recepcionista sugere que você espere alguma "brecha" do médico, ou que alguém desista de alguma consulta...
A diferença gigante aqui é que ninguém nunca desiste dele. 
E que exatamente como eu e você, todo o resto do mundo chegou tarde.
E a semelhança? É que como a consulta médica, você precisa urgente dele. Ele é como um médico, ele consegue curar pessoas de doenças que nós achamos que iremos seguir com ela durante toda nossa vida...
E então, permanecemos na sala de espera, mesmo sabendo que será em vão. Esperamos uma brecha para tentar conquistá-lo. Eu com meus textos, alguns com presentes, gestos estrondosos. Ah vá, desistamos logo disso tudo!
O médico tem um número x de pacientes para atender, não tem como "fazer uma mágica" e uma hora surgir...
No coração dele, só tem hora para uma pessoa, e esta já está ocupada...
Não quer me ouvir?
Vai em frente, quebra a cara! Se ferra, literalmente! Gasta teu dinheiro, ilude teu coração! Por mais que ele queira, por mais que ele tente, ele não vai te Amar do jeito que você espera. E você vai confundir todos os gestos, todas as palavras, sorrisos, textos... E até as músicas que foram feitas para outros, serão suas, porque a tua mente faz questão de te enganar com tamanha perfeição...Abram os olhos, ele sempre será o cara que te fará suspirar após dizer um simples "Bom Dia". O cara que vai te abraçar em público ou segurar a sua mão.
O tipo de cara que vai te ligar chorando quando você estiver em uma situação ruim só para dizer que gostaria de estar ao seu lado.Mas desiste! Foge daqueles olhos enquanto é tempo!Ele não será de mais ninguém! Que dirá meu! O caso, é que a história se repete com ele: Ele espera por uma hora, uma brecha médica. Pois ele precisa urgente de uma consulta. Por isso, desiste dele, porque ele não vai desistir.

Andresa Alvez