Eu sei, é verdade, que vou te amar

Eu sei que vou te amar
Por toda a minha vida eu vou te amar
Em cada despedida eu vou te amar
Desesperadamente, eu sei que vou te amar
E cada verso meu será
Pra te dizer que eu sei que vou te amar
Por toda minha vida

Uma das melhores sensações da vida certamente é o amor. Um dos sentimentos mais controversos da humanidade é, por incrivel que pareça, a maior força capaz de mover o homem. É um sentimento capaz de transformar a vida das pessoas. E é muito importante que saibamos diferenciar o amor da paixão, que geralmente chega antes dele, mas é tão fugáz e tão volátil que não merece, e acho mesmo que nem tenha tanto valor. O amor não. Quando verdadeiro, ele não some de modo simples, como uma poeira. Até depois das despedidas, um grande amor resiste, e briga conosco em uma enorme luta interna para que esse sentimento não morra. Se você sente isso, então você tem amor.
É tão bom escrever sobre o amor. Quando estamos tomados por esse sentimento, por mais que as palavras pareçam bobas, é sempre gostoso se expressar quando amamos. Na verdade elas só aparentam a falta de noção para os que não estão amando. Eles são mais pragmáticos? Não. Eles apenas não sentem necessitade de dizer do amor que sentem, porque no momento podem realmente não sentir nada. Isso não é certo nem errado. Mas quando amamos fica difícil guardar esse sentimento dentro dos nossos corações. É como se diz em uma música: “Eu não quero e não vou ficar mudo pra falar de amor pra você”. Sinceramente, não dá pra ficar quieto quando o que queremos é mais contar que alguém faz a felicidade dos nossos dias.

Eu sei que vou chorar
A cada ausência tua eu vou chorar
Mas cada volta tua há de apagar
O que esta ausência tua me causou
Eu sei que vou sofrer a eterna desventura de viver
A espera de viver ao lado teu
Por toda a minha vida

Não é possível falar de amor sem falar do adeus. Pode ser um até logo, mas a sensação é mesmo a de que não mais veremos quem tanto amamos. Isso dói, machuca a alma. Mas, infelizmente, é da vida. Diferente de uma forte amizade, o amor é um sentimento que permite vivenciar sensações das mais variadas. Vamos da euforia, da vontade de estar juntinho com quem amamos à dor de estarmos longe desse alguém, pelos mais diferentes motivos, mas principalmente quando termina uma relação. Nosso coração reclama com nossa mente, pois muitas vezes fazemos coisas que racionalmente são corretas, mas que precisamos lutar, pois sentimentalmente são as decisões mais erradas do mundo.
É preciso entender que o amor não é uma paixão. Esta vem e vai. O amor não. Ele se aloja em nosso peito, e, quando forte e verdadeiro, nem o tempo é capaz de apagá-lo. Podemos encontrar outra pessoa que nos faça feliz. Que nos acompanhe, nos dê prazer e nos anime. Mas encontrar um outro amor é uma árdua tarefa, pois para isso teríamos que comparar este suposto novo amor com o antigo, e isso é desleal, pois sempre acharemos algum defeito que nos trará decepção, não por ser uma pessoa que não mereça nosso amor, mas porque, sempre que compararmos, qualquer novidade sempre será imensamente menor ao que ja habita em nossos corações. Por isso acabamos vivendo a esperança de que um dia, por mais distante que pareça, viveremos ao lado desse nosso grande amor. Afinal, somos humanos!

(A música “Eu sei que vou te amar” é uma composição de Tom Jobim e Vinícius de Morais, dois expoentes da Bossa Nova, ritmo brasileiro que encanta o mundo desde a segunda metade do século XX.)