Quando fala um coração

Ah! Ainda me lembro do dia em que nos conhecemos. Será que você consegue se lembrar? Foi mesmo num pequeno lapso de tempo que eu te encontrei e logo a reconheci. Tão ínfimo que a maioria das pessoas costumeiramente nem dão importância. É como se toda a vida se resumisse naquele momento em que nossos olhos se cruzaram. Estranho pensar assim, pois é difícil fazer uma redução tão drástica de toda uma vida. Claro que tudo isso não passa de conotações que faço nessas poucas palavras que agora lhe escrevo. São apenas um modo que encontrei de fazê-las impregnar em seu coração, de modo que nunca se apaguem de sua memória, ainda que daqui passem anos e mais anos.
Talvez ali dois mundos muito diferentes estivessem finalmente se cruzando. Meu mundo precisava encontrar o seu. O seu, não sei. Isso só mesmo você poderá um dia me contar. Na verdade, era meu coração que queria muito isso. Assim como é este mesmo coração que hoje deseja escrever essas linhas. Então estas dão sim palavras de um apaixonado. Juntas, estas palavras formam cartas, confissões, histórias, romances... Fazem com que pesoas normais se transformem em grandes heróis de aventuras incríveis, que, passando por inúmeras provações, recebem, como recompensa ao final da grande jornada, o coração da mulher que tanto amaram. É, eu estava apaixonado. Estranho isso? Talvez... Mas, o que, nesse mundo, pode ser considerado normal?
A solidão era minha companheira das longas noites em claro. Eu vivia sonhando acordado com aquela que fatalmente transformaria meu coração em seu próprio reduto. Sua voz e suas palavras eu conhecia. Seu rosto não me eram estranhos mais. Mas eu precisava te sentir. Ah! Quantas diferentes situações eu vivenciei em meus sonhos... Quantos modos diversos foram os que eu imaginei para esse nosso encontro... Quantas maneiras eu pensei em dizer o difícil “eu te amo”. E naquele momento, nenhuma palavra conseguiu ultrapassar a barreira de meus lábios, que apenas podiam mostrar o quanto aquele encontro me deixou feliz. Era grande a minha alegria. Acho que os romanticos são capazes de se jogar nessas aventuras, ainda que muitos falem ser isto uma grande tolice. É legal, embora não seja aconselhável.
Você estava ali, do outro lado da rua. Entre os carros e motos que passavam eu te vi e você me olhou. Nada como cruzar com seus olhos que mais pareciam coloridos com o mais puro mel que somente as melhores abelhas conseguem produzir. Seu rosto esquio, com curvas suavemente desenhadas, todo afinado, foi talvez a obra de arte que falta para completar o mais belo acervo das grandes galerias. Ah, e seus cabelos, tão bonitos e suaves, da mesma bela cor dos teus olhos. Você parecia mesmo uma pintura. Mas era real. Que bom que era real. Meu melhor sonho, materializado em minha frente. Nem a fina garoa foi capaz de tirar a beleza daquele momento. Aliás, eu nem estava mais me importando com aquela chuvinha intrometida. Que loucura! Eu podia ter gripado com aquela travessura. Mas ainda assim valeria a pena.
Você veio em minha direção. É claro que tambem me reconheceu. Eu seria capaz de te achar mesmo em meio a um monte de pessoas. Sei que este também era o seu sentimento. Imagino que para você o momento também tenha sido importante. Talvez não tão sublime quanto o que agora descrevo, pois este sonhador que lhe fala tem a estranha mania de colocar o coração na língua, em tudo que falo, e também nas pontas dos dedos que agora escrevem estas linhas. Aos olhos dos que nunca viveram o amor, só o fato simples de nossa história ter acontecido é um absurdo. Alguém como este incorrigível romântico lhe fazer essa declaração é uma afronta. Bem, para mim o que importa é o que seu coração dirá disso tudo. E, naquele momento em que confirmei meu encantamento por você, acho que pude sentir o quanto isso também foi bacana para você.
O que poderia eu te dizer naquele momento? Absolutamente nada, mesmo porque se eu tentasse falar ali qualquer coisa, certamente não sairia algo que conseguisse exprimir o que eu sentia. A verdade é que seriam uma sucessão de baboseiras que lhe fariam gargalhar e me deixariam tão vermelho quanto os maduros tomates que chegam às nossas mesas. Limitei-me a um simplório “Olá!”. Pouco? O brilho do seu olhar me dizia que não. Mesmo porque a resposta foi um simpático, mas não menos simples “Oi! Tudo bom?”. Menos uma barreira entre nós. Assim passamos aquele complicado momento do primeiro contato. Mesmo sem querer admitir isso, os apaixonados são sempre muito estabanados. “Você não acha tudo isso uma loucura?”, você me disse, para dissipar qualquer vergonha que pudessemos ter naquele momento...
Em poucos minutos parecíamos nos conhecer há muito tempo. Conversavamos com uma desenvoltura tal que eu nem parecia aquele envergonhado que lhe disse apenas aquele “Olá!” quando te vi. Era tão bom falar com você. Eu já sabia que certamente teríamos ótimos papos. Mas, ainda assim, acabei me surpreendendo comigo mesmo. Eu jamais me veria te contando piadas, só para admirar seu sorriso. Aquele sorriso que nunca saiu da minha cabeça, talvez por estar marcado nesse meu indiscreto coração. E o presente que eu te levei. Fiquei um dos homens mais felizes do mundo quando vi seus olhos brilharem ao receber aquela lembrança. E aquilo, pra mim, foi o melhor dos presentes. Muito mais que qualquer ouro.
Enfim, aquele foi um momento. E como todo bom momento passou. Eu acho que rápido demais. Depois vieram outros momentos. E outros... E outros... Porque a vida é feita de momentos. Aqueles que servem para nos deixar felizes, saudosos, e também os que queremos esquecer. Tudo não passa de momento. E isso passa, deixando em nós apenas lembranças. Eu guardo essa memória com carinho. Toda vez que fecho meus olhos, parece viva, ainda que distante. Se nos fosse permitido voltar no tempo uma única vez na vida, eu pediria para voltar a um dos nossos momentos, para ter a oportunidade de te dizer tudo que eu sempre sonhei, mas nunca me permiti, para não parecer mais bobo que eu possa ser nessas linhas que te escrevi. Tudo isso serve apenas pra te dizer o quanto eu amo você, no passado, neste presente, e certamente no distante futuro que desejo chegar ao seu lado.