A Atriz e o Poetinha

Um dia ele a conheceu, e isso foi o suficiente para sua vida mudar completamente. Ele nem queria mais saber das artimanhas do amor, mas ela veio e lançou todo seu charme e sua delicadeza sobre ele, e o encantou. Esta é a história de um amor tão comum e tão falado que talvez o nobre leitor até já esteja cansado. São dois corações como tantos outros que cotidianamente se encontram pelas ruas, nas rodas de amigos, ou pelo mundo sem barreiras da internet. Mas aconteceu, e foi num dia qualquer, com duas pessoas comuns, que a priori não têm nenhum atrativo que os façam ser alvos de uma história.
Ela, a atriz, sempre quis ser uma estrela. Sempre sonhadora. Sempre criativa. Muito versátil. A personificação da dedicação, para encantar o público que procurou vê-la nos palcos pelo mundo afora. E se dedicava porque amava aquilo que fazia, e talvez por isso o fizesse tão bem. Procurou pelo seu caminho. Participava da melhor companhia de teatro da sua cidade e realmente se destacava, afinal, era mesmo uma estrela. Nunca se cansou dos aplausos. Sempre se entregou de corpo e alma à sua arte. Sim, a atriz era feliz. E sua felicidade irradiava pelo ambiente, contagiava a todos que a cercavam, ainda que ela sentisse dentro de si a dor de sua solidão.
Ele, o poetinha, vivia em sintonia com o cosmos. Só assim conseguia dar vida às suas poesias tão românticas e tão bonitas. Era assim q a felicidade invadia o seu ser, em cada verso, contando em poucas palavras grandes histórias de amor e amizade. Diziam que ele vivia no mundo da lua, que não tinha vida social, que deixava que os dias escorressem pelas suas mãos, sem aproveitá-los. Mas ele continuava lá, com a cabeça nas nuvens, imaginando rimas, fazendo sonetinhos, mesmo que nunca tivesse amado de verdade, embora tentar seja sua palavra favorita. E ele tentou. Algumas vezes, ele tentou.
Mas um dia, aquele dia comum, no palco de um teatro, eles se conheceram. A atriz lá, no alto, dançando, atuando, brilhando... O poetinha na platéia, assistindo tudo e sonhando, sentindo... Ele sonhou um dia conhecê-la. Imaginou como seria cada detalhe. Era capaz de encher as páginas de um bom romance somente com tudo o que diria a ela no fatídico momento do inexplicável encontro de almas. Ela nem podia o ver. Estava muito ocupada, brilhando, encantando os olhos da sua fiel platéia. Estava trabalhando, levando boas ilusões aos corações dos seus espectadores. Tirando-os da dura realidade dos nossos dias e os transportando para o mágico mundo fantasioso.
Quando o espetáculo acabou, a atriz foi receber os aplausos. Merecidos aplausos. Frutos de um trabalho bem feito, com doação. Cada som do bater das mãos era um condutor da energia da qual ela se alimentava e se renovava a cada espetáculo. O poetinha, que estava na primeira fila, batia palmas fervorosamente, tanto quanto era o calor de seu sentimento. Ela percebeu. Viu no olhar dele um brilho diferente, mágico. Isso lhe chamou a atenção mais que qualquer coisa naquele momento. E ela o agradeceu. Olhou com ternura para seu novo fã. Mais, muito mais que isso, olhou com carinho, com amor. É sim, ali surgiu um amor. Quanto tempo durou, não precisamos saber. O momento, aquele momento, é o que nos importa falar.
Pobres dos corações daqueles que não acreditam em um amor surgido nos palcos de um teatro. É uma forma linda de gostar de alguém. Cercado e inebriado de arte, magia e calor humano. Perfeito mesmo. Um dia aprendemos que, na verdade, o amor é um sentimento passível de surgir em qualquer lugar, e a qualquer hora, assim como se pode passar uma vida inteira sem nunca amar alguém. Talvez apenas gostar seja o normal em nosso mundo. O palco uniu dois artistas, de artes diferentes, sim, mas de igual importância, pois o fim é o encantamento do público. Não haveria cenário mais bonito para esse encontro.
Foi assim que o poetinha conseguiu encontrar aquela que sempre lhe fora a musa no pensamento. Agora ela era real, palpável... E ali, naquele momento, mesmo com todos que lotavam o teatro, no mundo dele só havia ela, e no mundo dela, ainda que todos aqueles fãs merecessem seu carinho e sua atenção, só existia o poetinha, que ela nunca viu, e talvez nunca tenha lido, mas que, com seu olhar apaixonado, conseguiu invadir e tomar todo seu coração. Porque eu estou lhe contando isso? Talvez, em seu coração, você precise encontrar uma atriz ou um poetinha. Tente. Um dia você pode conseguir. E aí você vai se lembrar de tudo isso aqui.