Ao sabor de duas almas

Entra no meu coração
E sentencia que quer habitá-lo
Me pede a permissão
E eu não posso jamais negar
Pois sei que antes
Ao ouvir a palavra amor
Eu tremia

Agora vivo a história mais livre do mundo
Sinto no ar o bem maior e mais profundo
E se há medo de que tudo desmorone
É o amar que nos faz mais forte
Nada racional
Não se consegue explicar
As pernas tremem
E o coração ri
Abrimos da vida a janela
Faz muito sol
Mesmo nos dias de chuva
Porque é assim...
Maravilhoso amor meu
Maravilhoso como uma pintura bela
Com nosso nome nela
Tem que ser cuidado
Tem que abraçar forte
E assim nunca terei medo
Pra assim nunca ter medo
Para que nossos planos
Para esta nossa vida
Que tem tantas falhas
Mas que às vezes tem seus altos
Quando em dois o que é difícil se torna simples
Irracionalmente
Enquanto o coração grita
Nos falta a fala
Cuidemos direito
Um pelo outro
E assim o medo se vai
Assim o medo esvai
Assim nossos medos se perdem

Na eterna vida nossa que segue

Leonardo Távora