Encontro

Oi. Tudo bem? Você poderia me informar se o 4502 para nesse ponto?
Oi. Para sim. Mas acho que vai demorar. Passou um agora.
Que pena... Nossa, acho que já te vi em algum lugar. Por acaso você foi aluno do Newton, em História, naquele colégio do Centro?
Fui sim. Você também? Ele é ótimo, né? Acho que também me lembro de você. 
Sim, lembrei! Você andava sempre com aquela moça, Vânia, um rapaz magrelo, acho que Eduardo... Sou amiga deles no Facebook, mas você... Você sumiu do mapa quando as aulas acabaram.
É, cada um seguiu um rumo. Lembro-me de você também. É a menina que falava francês e gosta da minha banda preferida.
Eu mesma. Viu o CD novo? A capa é linda!
Vi e gostei demais. Quanto tempo, hein!?
Sim, quanto tempo. E hoje, o que faz?
Dou aulas de matemática em uma escola aqui da cidade.
Sério, matemática? 
Sim. Você não gosta? 
Nada. Sempre fui péssima nisso. Prefiro biologia.
Legal. O que você tem feito?
Trabalho numa cidade próxima daqui, mas estou tentando um novo emprego. Já estou indo para uma entrevista agora. Se o ônibus passar logo e eu não perder a hora.
Vai dar tudo certo. 
Assim espero.
Precisamos nos falar mais.
Com certeza.
(Trocas de telefones/redes sociais/sorrisos)
O 4502 chega.
Boa sorte em sua entrevista.
Obrigada.
(Um abraço tímido. Um beijo no rosto)
Tchau.
Até logo. Vamos nos falar, lembra?
Ela embarca. 
Ele observa.
Ela pensa nele.
Ele pensa nela.
Os dois seguem seus caminhos.
Os dois pensam em como e quando vão se falar outra vez.

Marina Messias