As receitas fáceis: da TV à mesa de casa

                

Quem nunca assistiu a um programa de culinária, seja qual for o conteúdo e não falo somente do programa da loira com o papagaio não, e nunca tentou fazer em casa as receitas super fáceis de serem feitas. Fácil menina, anotou !

O telespectador não anotou, somente pegou na internet a receita e foi para os ingredientes que sempre, na verdade leia-se nunca, temos em casa. Ao fim, percebeu que não tinha todos os ingredientes, na verdade, não tinha nenhum deles, coitado morava sozinho.

No supermercado foi a caça dos ingredientes super fáceis de serem encontrados, no caminho após passar por alguns supermercados consegue reunir todos e ir para casa e finalmente executar a receita.

Em casa, ele reúne os ingredientes e começa a decifrar a receita, a mesma que apesar de indicar como fazer, omite uma série de dicas que necessitam de serem seguidas. Como toda pessoa normal faz, ele contestou a receita e inclui alguns ingredientes, alterou a medida de outros e excluiu alguns com a certeza de que ficaria bom.

A receita é executada, as dúvidas dobram assim como a certeza de que ficará bom no final. Com a receita pronta, vem a prova dos nove e com ela a depressão, não ficou como na televisão, não ficou gostoso e ainda assim indaga dizendo que fez tudo conforme a receita, “segui à risca”. Com a conclusão de que boa a receita não ficou, hora de achar os culpados como a loira da televisão, os utensílios domésticos incorretos ou adaptados, o forno ou as panelas não profissionais, os ingredientes de marcas diferentes, ou seja, tudo menos o executor da receita que nunca tem culpa.

A conclusão foi uma só depois deste dia como pateta, “não faço mais receita nenhuma em casa e na próxima vez seguirei o conselho do vô, no que tange a dúvida cruel do que fazer: “não faça, compra pronto”.

Marcus Campolina