O hipócrita

Eu reclamo da falta
De ordem e de progresso
Contudo, eu corto fila
Protesto contra aqueles
Que me caluniam pelas costas
Falando mal deles pra terceiros
Acho absurdo quando
Pessoas desobedecem às leis
Mas não paro em sinal vermelho
Eu acho o Brasil um país machista
Porém, creio que pro bem da família,
Lugar de mulher seja mesmo na cozinha
Acredito que as pessoas são livres
Para pensarem como quiserem
Desde que seja como eu
Reclamo dos que criticam o país
Mas, só ostento a bandeira nacional
Em época de copa do mundo
Eu gosto de pessoas
Que fazem o que falam
E falam o que fazem
Embora eu mesmo não seja assim
Minha ideologia política
É que seu partido não pode roubar
A menos que o meu também possa
Coloco o dedo na ferida
Dos que estão errados, mas,
Por favor, deixem minhas feridas em paz

Minha estúpida retórica será
Ouvida por mais mil anos
Minhas ideias não correspondem aos fatos
Jogo pedra na Geni depois de me deitar com ela
Agora que já te falei de mim
Decifra o enigma da esfinge:
Quem sou eu?

Celso Garcia