Retroceder

Acho que nesse momento, ninguém em toda zona terrestre está mais confuso, sentindo medo e perdido do que eu.
Lentamente, é como se minha mente voltasse, trazendo a sensação de abril.
As lágrimas que derramei durante trinta dias, a falta de sono, de apetite. As semanas sem fim, os dias que se arrastavam. É como se a minha paz tivesse evaporado.
O dia com cara de domingo é quente, extremamente quente. As folhas das árvores não se mexem, tudo é abafado. Mas ainda assim, eu sinto calafrios. 
Queria poder me encher de cobertores, apagar, sumir do mundo e acordar na segunda feira.
Acordar esperando que tudo tenha sido fruto da minha imaginação deveras medrosa, malígna e psicótica.
Eu queria fugir para alguma cidade distante. Queria abraçar alguém que me fizesse esquecer. 
Alguém novo o suficiente para prender minha atenção e não me deixar pensar.
Por favor, meu Amado, não volte no tempo, não me leve até abril. Não me faça passar por tudo de novo. 
Por favor.
Eu sinto frio, medo, dor, ansiedade, repulsa. Eu me sinto só.

Andresa Alvez