Versões: "E se fosse ela?"

Hoje a seção de versões do blog vem com uma canção espanhola de muita qualidade poética. E como é complicado trabalhar a letra de uma música em um idioma tão próximo do nosso. Palavras com dicções parecidas, mas com sentidos diferentes podem confundir e muito na hora de entender a informação que aquele verso quis passar.
É a vez de trazer Alejandro Sanz, um cantor que tem algumas pérolas em sua discografia, como “Y si fuera Ella?”, que apresentamos aqui. Sanz é um dos mais bem sucedidos artistas latinos no mundo inteiro, sendo o cantor espanhol mais bem sucedido fora de seu país. Já vendeu mais de 21 milhões de álbuns durante sua carreira e é o artista espanhol que ganhou mais prêmios, entre eles, 20 estatuetas do Grammy Latino. Lançou onze álbuns, e todos eles alcançaram o status de platina.
Boa leitura!

E se fosse ela?
Original em espanhol: Alejandro Sanz
Versão em português: Leonardo Távora


Ela se desmancha e me atropela
E se às vezes não me importo
Sei que o dia que a perder sofrerei demais

Por ela que aparece e que se esconde
Que vai embora e que fica
Que é pergunta e é resposta
Que é a minha indecisão

Estrela (não, não...)

Ela me acalma a alma e a embaraça
Vem comigo, mas não sei pra onde vou
Minha rival, minha companheira.
Que está tão dentro da minha vida
E às vezes está tão fora
Sei que voltarei a me perder
E a encontrei de novo,
Mas com um outro rosto e com um nome diferente
E outro corpo, mas ainda sei que é ela
Que outra vez me leva, nunca me responde
Se ao girar a roda...

Ela se faz fria e sempre eterna
Um suspiro, uma tormenta
Ah! Foram tantas vezes que mudou sua voz
Gente que vai e que vem
É sempre ela
Que a mim mente e que me nega
Que me esquece e de mim lembra
E se minha boca se equivoca

Mas se minha boca se equivoca
E ao chamá-la, chame outra
Às vezes sinta compaixão
Por este louco, cego e louco coração

Seja o que Deus queira que seja
Meu delito é a besteira de ignorar
Que há quem não tenha coração
E vai queimando, vai queimando, e me queima

E se fosse ela? (oh, oh)

(não...)

Ela me acalma a alma e a embaraça
Vem comigo... Digo-te
Minha rival, minha companheira: Essa é ela.
Mas é difícil, quando outro adeus está tão perto
Eu a perderei de novo, e outra vez perguntarei
Ela se vai, sem nossa resposta
E se assim ela se afasta
Eu que estou perdendo...
E se era essa?... E se fosse ela?

Seja o que Deus queira que seja
Meu delito é a besteira de ignorar
Que há quem não tenha coração
E vai queimando... E me queima

E se fosse ela? (não, não...)

... Às vezes sinta compaixão
Por este louco, cego e louco coração

Era? Quem me disse se era ela?
E se a vida é uma roda e vai girando
Se ninguém sabe quando temos que saltar
Eu a vejo... E se fosse ela? E se fosse ela?

E se fosse ela?