Terminou Cedo

Eu vejo nossas fotos juntas e não sei dizer se você cresceu ou se você se perdeu.
Eu sei que sinto pena. Pena de mim, de ti, e do que nós éramos. 
Acho que agora, nesse momento, eu daria qualquer coisa para estar conversando com você. Mas não com essa pessoa plastificada e materialista que você se tornou, e sim, com a menina que eu conheci. Aquela que não tinha vergonha de mim, que me contava seus segredos, que chorava falando sobre um Amor não correspondido, que segurava minha mão. 
Que usava moletom e que dizia “eu jamais faria isso contigo.” Que se preocupava com o meu bem, que trocava roupas comigo, que acatava meus conselhos.
Você fez, você esqueceu, deixou em algum lugar pelo qual você passou tudo que achávamos que tinha valor. Dividimos tanto, tomamos tantas dores, sorrimos ao ver a felicidade da outra.
E onde foi parar tudo isso? Onde será que se escondeu aquela menina, que numa tarde na praia me disse que estava falando tudo àquilo para o meu próprio bem?
Mais piegas do que “as lembranças ficaram” é dizer que “eu jamais vou te esquecer.” 
Teu sorriso torto eu sempre vou levar comigo. 
E caso você queira voltar, saiba que um pedaço de mim ainda te Ama. Aquele Amor antigo, Amor de amiga. O Amor da tua Pequena.

Andresa Alvez