Versículo

As ruminações desta quinta-feira
Se findam quando o mar da Penha
Me estende os braços
E as suas ressacas me sussurram solidões.
Em noite e dias assim
Mesclando a ânsia sincera e visceral pelo futuro
Com um desejo devastador, força maior
Que hoje fosse ontem
E ontem antevéspera
Tento dormir.
Se quem vive de passado é museu
Eu sou uma cidade pré-histórica.

Claudio Rizzih.