As belezas da Literatura: "Ingredientes"

É com imenso prazer que volto ao Literatura Exposta, para mais um ano de meus devaneios literários que, para minha imensa felicidade, tem conseguido tocar vocês, leitores. Para mim é motivo de muita alegria mesmo. Escrever é uma arte. Conseguir que esta arte seja apreciada por cada um de vocês que lêem o que coloco aqui é motivo para me emocionar mesmo. Cada comentário aqui ou fora, nas redes sociais e na vida de um modo geral, é como um combustível para minha criatividade e para minha imaginação. Tomara que possamos dividir emoções ao longo do ano. Afinal, este é um espaço de livre sentimento.
Para abrir os ano, resolvi ampliar a seção que inaugura os meses aqui no blog para as páginas dos livros. Ano passado, para minha imensa felicidade, a poesia "Ator" da ótima Mayara Almeida, que abriu o ano de 2010 aqui acabou sendo premiada num concurso. Este ano, escolhi o autor Sérgio Tross, que, além de ser pai de meu amigo Roberto Tross, é um escritor de mão cheia. A poesia que colocarei aqui parece despertar nos estudiosos duvidas quanto a ser poesia ou conto. Trata-se de uma bem bolada receita que muitos vão se surpreender.
Boa leitura!

Ingredientes

Sérgio Tross

Uma porta que se abre.
Um homem que ergue o braço, o dedo.
Um dedo que se move.
Uma luz que se acende.

Um passo que é dado.
Um silêncio que estala.
Um gemido que se ouve.
Uma voz que resmunga.

Um rosto de mulher que se oculta na cama.
Um rosto de homem que se revela no hálito.

Uma interrogação que incomoda, feminina.
Uma resposta que não satisfaz, masculina.
Uma interrogação que se repete, feminina.
Uma resposta que agride, masculina.
Um palavrão que desabafa, feminino.
Um tapa que estala, masculino.
Um grito de dor, feminino.
Um bocejo, masculino.

Eis a receita. E o conto.