Sobre a sinceridade

Sabe quando nos vemos em um momento tão bom, tão mágico, que parece mesmo que estamos sonhando? Mas um sonho tão gostoso, que não queremos que passe? É meio assim que ficamos quando passamos bons momentos junto de uma grande pessoa, que marca nossas vidas para todo o sempre. São instantes. Nada mais que instantes. E infelizmente passam. Até mesmo para que novos instantes possam vir, por vezes com essa mesma pessoa que nos proporcionou alegrias que jamais serão esquecidas, pois são esses momentos que marcam que ficam gravados na memória como se fossem inscritos em uma pedra. São os momentos em que temos presente em nossas existências a sinceridade.
Essas pessoas não são a alegria do nosso viver. Elas são nossas próprias vidas. Sim, pois geralmente é gente que surge em nosso destino sem questionamentos, e toma conta dos nossos corações sem pedir licença, e lá faz sua morada, sem data de término, nem prazo de validade. São amigos. Sinceros amigos! Sim, falo aqui de amizades sinceras. E ainda que sentimentos mais fortes possam surgir, essa será a base sólida de toda a vida. Amigos sinceros, que não têm medo de dizer o que pensam, para o bom ou para o mal. Sim, porque uma frase diferente, em amizades sem solidez, pode gerar uma fissura algumas vezes insuperável. Às vezes por uma bobagem, uma inutilidade, se descobre que aquela amizade que nos parecia tão forte não era assim, sólida. Isso acaba nos magoando além do normal.
Aliás, a sinceridade é uma coisa engraçada. Em um mundo povoado pode falsidades, ser sincero por si só já implica ser diferente. E, desta forma, se distinguir do senso comum é algo que gera medo, tanto interno quanto externo. Temos medo de aparecer como “diferentes” para o mundo, quando todo mundo é muito igual e muito diferente ao mesmo tempo. O problema é que o homem tem vergonha de se olhar no espelho, e em nosso mundo tão igual, com regrinhas que nos engessam, todos são espelhos um dos outros. Por isso o errado passa como certo, e o certo tem ar de erro. As pessoas têm medo de enxergar o diferente. Vêem como uma ameaça, ainda que o diferente seja legal até bem pouco tempo. Quando a sinceridade bate à nossa porta, temos medo de abrir e deixá-la entrar. Por isso é que ser diferente é viver com medo... De si e dos outros. Pois se lida com a verdade. Isso é um insulto ao mundo em que se vive.
Quando se convida um amigo para passar alguns dias em nossa companhia, geralmente se toma todo tipo de cuidado possível e imaginável. O que esse amigo pode achar do convite? Vivemos em um mundo onde se lê nas entrelinhas até onde não se há entrelinhas. Tomamos todos os tipos de cuidados, inicialmente, para fazer o convite. Depois, nas palavras que usamos quando na presença deste amigo. Quando nos damos conta, os dias que eram para serem lindos acabam sendo burocráticos, cheios de protocolos inúteis. A vida seria tão mais fácil se a sinceridade entrasse nesta rede de relacionamentos. Mas não... Ela faria sérios danos ao homem, que não sabe nem mais o que esta palavra significa. E aos poucos ela nos invade, nos permitindo sermos mais humanos, colocando nossas alegrias, medos e até frustrações para fora.
Mas ainda existem amigos sinceros no mundo. São pessoas que nos encantam pela sua simplicidade, pelo seu jeito despojado, pelas verdades que falam, ou pelas ironias sutis que lança ao ar, que apenas os que os escutam com a profundidade da alma conseguem notar. São amigos que nos dão a liberdade suficiente para nos expressarmos sem as amarras que a sociedade nos impõe. Nesse tipo de relação, as regras podem ser “quebradas”. Sabem respeitar nossos espaços e nossos momentos, do mesmo jeito que nós conseguimos compreender que existem momentos para eles em que as palavras são algo dispensável, e o silêncio é mais completo que qualquer frase feita. Quando nos damos conta, o tempo passou sem nem notarmos. Eles se vão, e deixam aquela saudade gostosa de momentos agradáveis que passamos, sem as preocupações com os problemas do nosso cotidiano.
Novos momentos certamente virão pela vida afora. Serão tão bons ou melhores ainda, pois amigos sinceros são tudo o que precisamos na vida. A amizade sincera é certamente a base sólida para que qualquer relacionamento humano siga ao longe. Mesmo o amor não resiste ao tempo se não estiver no solo firme da amizade. Se você conseguir encontrar à sua volta pelo menos um amigo assim, certamente você jamais será solitário, pois um amigo é a coisa mais bela que há. O companheiro da grande viagem que fazemos. É certamente alguém que não morre jamais!