Não me deixe ir

Tuas mãos alcançavam toda a minha extensão, 
tocando cada ponto devagar. 
Estar sob teu corpo me fazia tremer.
Seus lábios grudavam em meus ouvidos, 
dizendo num sussurro que eu era somente tua.
A luz do quarto não me intimidava, 
pela primeira vez na vida. 
A euforia queria escorrer pelos meus olhos, 
mas eu não permiti.
Tu estavas tão perto, tão igualmente meu, 
tão conectado a mim.
O sonho se desfez no dia seguinte,
 tua cama foi feita, 
guardei meus pertences e fui embora, 
deixando ali tudo que eu sabia que nunca mais iria se repetir.

Andresa Alvez