Nesses Rumos, Nessa Estrada

Sigo agora nessa estrada
E as lembranças me dominam
Pensamentos sobre tudo
Olhos abertos para o mundo
Com a mente no futuro
Sei que não posso te ver
Mas em toda vida eu sei
Caminho existe pra se encontrar

A gente que está bem vivo
A gente que move a terra
Somos o sal que dá sentido, existência
Quando fazemos coisas juntos
A escuridão se ilumina
E ainda que seja noite
Verá um dia-poesia

Toda vida que começa
Tem história e escolhas
E consequência sempre à sombra
Debaixo de todo sorriso aberto
E de toda lágrima contida
Existe sempre gente experimentando
As dores e delícias da existência

Em tudo isso que eu faço
Sinto que a vida acontece
Sabe o que eu to dizendo?
Daquilo que mefaz sentir bem
Dos meus momentos de silêncio
Por dentro e ao meu redor

Faça tudo valer a pena enquanto pode
Faça o amor prevalecer enquanto você viver
Simplesmente seja!

Eu que sempre sigo um rumo
Estou na estrada do mundo
Buscando sempre andar 
Por corretos caminhos
E se semente em terra hostil
Nasce e cresce e desafia
A gente também pode renascer

Sem medo do que nos desafia
Sem medo da vida
E a cada sorriso que nós dermos
Em todo novo pacto de amor
Em cada loucura que houver
Sejamos sempre a esperança
Sejamos aquilo que quisermos ser
Sem nunca deixar a vida passar

Não... 
Não deixemos que nosso tempo
Precioso e efêmero tempo
Seja um grande e infértil reclamar

Leonardo Távora

(A poesia não fala dela, mas no dia de hoje, dedico meu trabalho literário à minha irmã tão querida que comemora mais um ano de vida. Nossos parabéns à Juliana Távora, com votos de felicidades, paz, saúde e muito sucesso.)