Medo das linhas

Escuro me dá tontura. Mas também, faz vir a tona todos os meus fantasmas. É no breu que eles despertam. 
Eles nasceram no passado...
Amores vem e vão, os de verdade ficam. Mas todos, até os passageiros, deixam uma assombração.
Algo que vai te fazer dormir mais tarde todas as noites, algo que vai tirar o seu apetite num almoço em família.
Algo que vai te fazer chorar numa manhã de terça feira sem motivo visível, algo que vai te perturbar num abraço, num sorriso, numa banda, numa frase.
Algo que pode roubar o pouco que tens.
Viro os retratos, dobro as palavras. Escondo tudo que posso dos meus olhos, mesmo sabendo que minha alma já viu a muito tempo. Mas não queria.
Durmo com o teu travesseiro, durante a noite sinto tua mão na minha costa. 
Sento na cama para chorar até o sono voltar.
Preciso espantar isso, te fazer sumir, me livrar de ti. Não ficar mais no escuro, não te despertar.

Andresa Alvez