Tempo: O grande construtor de histórias!

“És um senhor tão bonito
Quanto a cara do meu filho
Tempo tempo tempo tempo
Vou te fazer um pedido
Tempo tempo tempo tempo...”

Quem nunca pensou no tempo. Naquele tempo que as coisas poderiam durar. Quanto tempo demoraria para aquela dor de amor passar. Que precisa de tempo pra isso, pra aquilo... Talvez o mal do mundo seja perder tempo pensando em quanto tempo vai precisar pra realizar alguma tarefa. Assim, por menor que seja o tamanho do trabalho a realizar, o tamanho do período pra isso será dobrado, contando-se o que perdeu imaginando.

”Compositor de destinos
Tambor de todos os rítmos
Tempo tempo tempo tempo
Entro num acordo contigo
Tempo tempo tempo tempo...”

O tempo é também o maior construtor de histórias, sejam elas felizes ou não. Pois é o tempo que nos faz amar cada vez mais, diariamente, fazendo-nos contruir casamentos que duram 50 anos, e que muitas vezes vão além disso. Mas é também esse mesmo tempo que nos permite esquecer aquele amor que não era tão verdadeiro assim, mas que mexeu conosco, e, por isso, em dado momento, nos fez sofrer com sua ausência. Nada melhor que o tempo para curar essas mágoas que entorpecem nossos corações e nos fazem até mesmo amargos e rabugentos.

“Por seres tão inventivo
E pareceres contínuo
Tempo tempo tempo tempo
És um dos deuses mais lindos
Tempo tempo tempo tempo...”

Mas engana-se quem acha que é perda de tempo pensar, pois tudo o que existe de construção humana no mundo passou primeiro pela mente de alguém. Essa é a primeira etapa da realização. E o tempo é uma ferramenta necessária para a maturação das idéias, para que o homem consiga fazer os desbobramentos necessários, com o objetivo de deixar sua obra mais clara e passível de admiração, seja ela um livro, um roteiro, ou uma pintura. Tudo precisa de tempo para se transformar em beleza e encantar os olhos dos que a apreciam.

“Que sejas ainda mais vivo
No som do meu estribilho
Tempo tempo tempo tempo
Ouve bem o que te digo
Tempo tempo tempo tempo...”

Com o tempo nós aprendemos que não adiantam os radicalismos. Que é na conversa - e não na porrada - que resolvemos nossas diferenças. Só o tempo é capaz de nos dar aquilo que tanto almejamos na vida: Sabedoria. Aqui ele tem uma aliada de peso, que é a paciência. Não se aprende nada quando se está sem tempo e sem paciência, pois o estudo das coisas demanda concentração, atenção e cuidado com a leitura, e também com a prática. Para que se tenha todo esse cuidado, é necessário que haja paciência, e que se saiba usar o tempo como um aliado, e não como um adversário a ser vencido. Assim se faz tudo bem feito.

“Peço-te o prazer legítimo
E o movimento preciso
Tempo tempo tempo tempo
Quando o tempo for propício
Tempo tempo tempo tempo...”

Quem lembra do tempo quando está realizando uma atividade prazerosa? Parece que ele voa, e nem nos damos conta. Seja no trabalho ou em atividades de lazer, o tempo nem é sentido. As horas passam, e quando nos damos conta, ja anoiteceu, ou ja é de madrugada, quando nos deixamos ir por uma boa conversa com os amigos. Porém, quando estamos fazendo qualquer atividade que contrarie nosso gosto, o tempo teima em não passar. Quando estamos esperando a hora de encontrar com aquela paquera então, aí é que ele teima em andar lentamente, a passoa de tartaruga. A verdade é que o tempo não muda nunca. Nós é que mudamos nossa sensação, de acordo com o envolvimento e a satisfação que temos realizando as tarefas do dia-a-dia.

“De modo que o meu espírito
Ganhe um brilho definido
Tempo tempo tempo tempo
E eu espalhe benefícios
Tempo tempo tempo tempo...”

A maioria das pessoas que pensam em fazer sucesso em suas carreiras não param para ver o tempo passar. Estão preocupadas demais com o pr´prio bolso para deitarem-se no chão e apreciarem as estrelas que brilham no céu, ou mesmo admirarem as estrelas que existem em seus círculos de amigos, e até mesmo em suas casas. Todos têm um talento para alguma coisa. E todo mundo tem um pouco de artista dentro de si. O problema é que se escondem dentro das máscaras que criaram para viverem nesse mundo de mascarados, sem tempo para si próprios e para os que os cercam. Não há, no mundo moderno, tempo para apreciar o belo. “Isso é para os ricos, que não precisam de trabalhar”... E as pessoas se esquecem de que alimentar seu ser não é apenas almoçar todos os dias. A vida precisa de brilho para vermos algum sentido em continuar vivendo.

“O que usaremos prá isso
Fica guardado em sigilo
Tempo tempo tempo tempo
Apenas contigo e comigo
Tempo tempo tempo tempo...”

Faça um acordo com o tempo, para que ele não passe depressa demais, de modo que você não consiga sentir o valor imensurável que a vida tem, nem devagar demais, tornando todos os seus dias enfadonhos. Que ele passe num ritmo agradável, permitindo-o viver aproveitando o que a vida tem de bom, rindo das situações engraçadas, chorando de alegria quando tiver seu trabalho reconhecido, e até mesmo de tristesa, pois uma vida não são só flores.

“E quando eu tiver saído
Para fora do teu círculo
Tempo tempo tempo tempo
Não serei nem terás sido
Tempo tempo tempo tempo...”

Nada melhor que o tempo para consertar as burradas que fazemos na vida. Só ele é capaz de curar as feridas que nós mesmos criamos ao nos deixar cair em uma armadilha, pensando ser amor o que na realidade só nos aprisionou, tirando de nós o amor que sentimos naturalmente por nós mesmos, e nos fazendo servos de alguém que nunca nos amou, mas sabe direitinho como nos manter atrelado a si, com um grande cabreto psicológico, nos fazendo mudar nosso jeito de ser só para poder exibir o troféu para seu circulo de amizades. E não são só as mulheres que servem de enfeite para seus parceiros. Tem muito homem que vira um verdadeiro capacho por amor.

“Ainda assim acredito
Ser possível reunirmo-nos
Tempo tempo tempo tempo
Num outro nível de vínculo

Tempo tempo tempo tempo...”

O mesmo tempo que é capaz de afastar duas pessoas, é capaz também de uni-las novamente anos depois. São os mistérios do amor. Coisas que não sabemos explicar. Simplesmente acontecem. Geralmente existem muitas cobranças sobre o afastamento. Respostas que as pessoas às vezes não tem. E que geram discussões, quando o reencontro deveria ser o momento de alegria, até porque o passado não volta, e só se deve ficar com as boas lembranças, sob pena de se tornar amargo, consumido pelas tristezas que aquela separação causou.

“Portanto peço-te aquilo
E te ofereço elogios
Tempo tempo tempo tempo
Nas rimas do meu estilo
Tempo tempo tempo tempo...”

Assim, vamos todos pela vida, guiados pelo tempo. O tempo de cada um. Nem tão rápido, e nem tão devagar. Apenas o tempo certo para que nossas idealizações se façam real e nos tragam felicidades, ou a capacidade de superar os momentos mais difíceis. Só é preciso tempo, para o reconhecimento e para o esquecimento. Apenas o tempo...

(Os versos que permeiam o texto fazem parte da música "Oração ao tempo", de Caetano Veloso)