Vontades, Carências e Prioridades

Um dia, ao despertar, percebi que minhas vontades eram tantas que não podia dar conta de todas elas nem que vivesse mais mil anos. Precisei colocá-las no papel e estabelecer uma lista de prioridades. Não resolvi meu problema. Descobri que as prioridades eram tantas quantas minhas vontades. 
Foi nesse dia que percebi a imensidão do mundo e suas possibilidades infinitas. Observei de perto meu egoísmo (de tudo querer) e perguntei a mim mesmo se de fato estas eram as necessidades da minha vida. Desde então, coloquei-me a disposição do tempo e estabeleci como propósito de vida a perseguição às coisas que de fato pudessem contribuir para que eu fosse uma pessoa melhor. Novamente empunhei papel e caneta e decidi listar apenas as exigências que meu corpo e minha mente faziam para a sobrevivência. Terminada a tarefa.
Cada manhã, ao me levantar, observava os itens listados. Decidi testá-los um por dia e experimentava, ao longo das horas que se seguiam, eliminar aquele tópico. Ao chegar em casa, no fim do turno, riscava com gosto aquele que descobrira não ser pertencente ao grupo das urgências.
Um filósofo qualquer, uma vez escreveu, que o Amor é algo de conteúdo que supre a falta e que nós somos como vasilhames vazios que precisam de seu preenchimento. Tantas foram as vezes que testei o Amor. Entretanto, a cada teste, ele me provava ser uma de minhas mais profundas carências. Percebi que precisava, mais que amar, sentir o amor. 
Concluí que sem alguém eu nada podia ser. Sem o preenchimento do Amor, meus pensamentos voavam sem razão e tudo se desconectava do sentido. O amor estabeleceu-se, acima de qualquer outra coisa, como a mola propulsora da minha vida.
Fui forçado pelo amor a renunciar às minhas vontades. Vi minhas vaidades serem destruídas. Vi meu orgulho morrer, meus medos me abandonarem e o ódio se auto-consumir. Minhas prioridades não eram mais as mesmas e o leque de possibilidades que se abriu me abraçou. Minhas exigências e urgências adotaram todas o prefixo que me lembrava o meu amor. E minhas necessidades se resumiram simplesmente a você.

Gustavo Dias