Ciclos e Espirais

- A vida é cheia de ciclos, né? 
- Acho que não. É meio estranho pensar em ciclos, pois eles podem voltar, e isso me dá uma sensação de, sei lá, estagnação. 
- É estranho pensar que podemos viver novamente emoções do passado? 
- Não. É estranho imaginar que não somos capazes de aprender com nossos erros. Em uma vida de ciclos, fatalmente cairemos novamente em dada situação, e se é um ciclo, nossas ações se repetirão. 
- E se não se repetirem?
- Então não é um ciclo a vida. 
- Acho que to entendendo. Estamos falando de uma espiral. E se falharmos em algum momento dessa espiral? 
- O ciclo se repete. 
- Viu. Voltamos ao ciclo. 
- Você só volta se repetir o que já fez no passado. 
- Mesmo as coisas boas? 
- Sim. Mesmo elas. Na verdade, há muitas formas de se fazer o bem. Você só evolui quando consegue encontrar essas novas formas. 
- Tá... Calma... Você quer me dizer que eu vivo numa espiral chamada vida, e que só fico plenamente realizado quando evoluo nela. Até onde essa espiral pode ir? 
- Até onde sua imaginação alcança? 
- Ah, muito, muito longe. Se for para imaginar, eu vou evoluir até morrer. 
- E provavelmente não terá evoluído tudo. 
- Assim eu é que me assusto. Será que vivemos neste mundo apenas para aprender? 
- Não. Para ensinar também. Mas ensinar a quem deseja aprender. 
- Como assim? 
- Na vida, a gente costuma aprender com quem sabe mais, ou viveu mais, e ensinar a quem sabe menos, ou viveu menos. Mas não é todo mundo que você quer ensinar que irá desejar aprender. É preciso saber calar, e ter a consciência de que é sua obrigação ajudar a quem lhe pede a luz para sua treva pessoal. 
- Ah. Tipo, um ciclo! 

(Silêncio. Sorrisos) 
- É sim! Tipo um ciclo.

Leonardo Távora