Livro em Cena: "Viagem ao centro da terra"

De volta aos clássicos nessa seção. E, dessa vez, estou trazendo ninguém menos que o grande Júlio Verne. Lembram-se da outra história dele que postei aqui? A Jangada é um livro incrível, pois Verne jamais pisou no Brasil, e construiu uma história como se fosse íntimo do Amazonas. Nessa aventura, muito conhecida, Júlio Verne nos leva para uma fascinante viagem planeta adentro. Uma aventura que vale ter na sua biblioteca particular. 
Boa leitura!


--------------------- 
CENA: GABINETE / INTERNA / NOITE 

AXEL está no gabinete de casa, com um papel nas mãos. Ele lê e olha para os livros, procurando algo que o decifre. Vai até a janela e vê seu tio, OTTO, caminhando entre as árvores, dando bengaladas nos troncos, visivelmente nervoso. MARTHE entra no gabinete. 

Marthe: Ele saiu? 
Axel: Saiu mesmo. 
Marthe: E o almoço? 
Axel: Não vai almoçar. 
Marthe: E o jantar? 
Axel: Não vai jantar. 
Marthe (unindo as mãos, com clemência): Como? 
Axel: Marthe, ele não vai comer, nem ninguém dessa casa! O tio Otto vai obrigar-nos a todos nesta casa a jejuar até decifrar aquele pergaminho indecifrável. 
Marthe: Jesus! Vamos todos morrer de fome. 

Marthe sai decepcionada. Axel remexe novamente o papel. Aqui a câmera foca seu rosto e suas expressões. Ele começa a olhar com espanto o papel. Aos poucos vai ficando satisfeito com o que lê. Atônito, Axel cai na poltrona. 

Axel: Então era só ler ao contrário. (pausa) Bem, leiamos. 

Axel começa a leitura e fica estupefato. Ele deixa o papel em cima da mesa e começa a dar voltas no gabinete, nervoso. Volta para a mesa, olha novamente o papel e diz: 

Axel: Não, não! Meu tio não saberá disso. Só faltava ele saber dessa viagem. Vai querer fazê-la. Nada poderá detê-lo. Um geólogo tão determinado. Vai fazê-la de qualquer forma, apesar de tudo, a despeito de tudo. E vai me levar com ele. E não não voltaremos. Nunca! (pausa) Nunca! 

Axel pega o papel e um pergaminho e segue no rumo da lareira. Faz menção de jogar, mas se detém. Otto aparece nessa hora. Axel toma um susto, mas volta calmamente com o papel sobre a mesa. Otto senta-se e começa a escrever fórmulas para tentar desvendar o enigma. 

Entramos em uma passagem de tempo, com alguns quadros mostrando Otto concentrado em suas análises, e Axel em várias posições, andando, sentado, deitando-se na poltrona, etc. 

A passagem cronológica é parada quando Marthe entra no gabinete. 

Marthe: O senhor não vai jantar hoje? 

Axel olha para ela e solta um sorriso contido. Otto nem olha pra ela. Marthe sai inconformada com a falta de resposta de Otto. Então Otto levanta-se. 

Otto: Vou sair! 
Axel: Outra vez? 
Otto: Sim. E vocês fiquem aqui. Preciso pensar mais um pouco. 
Axel: Mas já faz frio lá fora. 
Otto: Ótimo pra refrescar a mente. 

Otto procura seu chapéu. Axel intervém. 

Axel: Meu tio! 

Otto não lhe responde. 

Axel (mais alto): Tio Lindenbrock! 
Otto: Hum? 
Axel: Então, e a chave? 
Otto: Que chave? A chave da porta? 
Axel: Não, a chave do documento! 

Otto o olha. Axel toma uma postura mais afirmativa. 

Axel: Sim! Essa chave... O acaso!... 
Otto: O que você está dizendo? 
Axel: Veja! (entrega o papel) Leia. 
Otto: Mas isso não quer dizer nada. 
Axel: Não quer dizer nada se começarmos a ler pelo começo. Mas, lendo a partir do fim... 

Otto toma um susto. Aqui a câmera faz o mesmo recorte de quando Axel desvendou o enigma. 

Otto: Ah! Engenhoso Saknussemm! Então você escreveu a frase ao contrário. 

Otto se vira de costas para Axel, ficando os dois de frente pra uma só câmera. 

Otto: In Sneffeis Yoculis craterem ken delibat umbra scartaris julii intra calendas decende, autas viator, et terrestre centrum attinges. Kod feci. Arne Saknussemm. 
Axel: Em mau latim, fica "Desça à cratera de Yocul do Sneffens, que à sombra do Scartaris vem acariciar antes das calendas de julho, viajante audacioso, e chegarás ao centro da terra. Foi o que fiz."
Otto: Arne Saknussemm. (pausa) Formidável! 

Otto olha para Axel. 

Otto: Que horas são, afinal? 
Axel: Três horas da manhã. 
Otto: Que coisa! Digeri o almoço depressa demais. Estou morrendo de fome. Vamos comer. Depois... 
Axel: Depois? 
Otto: Vá fazer minha mala. 
Axel: O quê?! 
Otto: E a sua também. 

Otto sorri para Axel e sai feliz do gabinete. Axel balança a cabeça negativamente e sai em seguida. 

CORTA PARA