Por ti

Vive pra ti. Se acaba, se estraga. Se esbalda de tudo de bom que essa vida pode proporcionar. Ri, todo dia, até chorar, até ficar sem ar, até doer a barriga. Come o que tem vontade. Se atrasa, perde a hora. Faz errado, faz certo, erra de novo se precisar. Fica sem dormir, ou dorme.
Vive.
E em uma das curvas, ou das estradas sinuosas, divide tudo com alguém. Se doa.
A gente tem que viver. Mas tem que Amar. Amor exagerado, errado, do avesso, estranho, louco, obsessivo.
Ama. Perde a fome, o sono, faz história, cria artigo, escreve conto. Mas Ama. Sorri sem motivo, escreve cartas, compõe uma canção.
Mas Ama, muito.
A gente acha que não, mas no fundo, precisa Amar.
Vive pra ti. Mas seja quando for, não importa, vive por alguém. Vive pra alguém.

Andresa Alvez