Prato Frio

Em certos casos, parece que se eu não me vingar eu não fico feliz. Ainda mais quando a pessoa que me fez sofrer deixou na minha vida uma marca que nem todos os pedidos de perdão do mundo podem apagar!
- Se eu não a Amasse não ficaria perto, não abraçaria... – E mais de sete anos depois tu me vens com esse papinho e quer que eu acredite? Meus contos são bem mais convincentes do que essa meia dúzia de palavras ditas pelas minhas costas, sabia?
E Deus, pai, mãe, amigos e todos aqueles que me ensinaram a ser uma menina boa e compreensiva, me perdoem. Não tem como seguir dessa forma!
Ele colocou dentro de mim medo. Fez a Andresa ter medo de Amar.
Não dou minha cara à tapa pra mim, não dou meu coração. E quando dou, sinto um medo de véspera, daqueles que ninguém consegue tirar Não me arrisco, nunca! Piso em ovos e permaneço com a idéia de que ninguém, nunca, jamais, vai me Amar.
A que vos escreve se esconde atrás de Amores irreais e de um mundo de sonhos que se resultam em bons textos... E só.
Falar nele, pensar nele me dói. Me dá nojo, náusea, ânsia! Eu o queria o mais longe possível de mim, queria que fosse pra outro planeta, ou eu iria, tanto faz, eu só não queria mais olhar para aquele rosto que me fez sofrer por longos 730 dias. É claro, que depois de tanto tempo, meu coração criou vergonha e decidiu esquecer, apagar.
Mas e as feridas? Os machucados profundos? E todo o sangue seco? E as palavras ditas em vão? As promessas quebradas? Isso não tem como apagar.
E nem tenta me falar que “o tempo cura tudo” porque ele não cura é nada! Ele tira do foco principal! E num belo dia, que no meu caso é hoje, a gente acaba lembrando. E chora, e se lamenta, se sente uma imbecil tapada!
Sente vontade de bater a cabeça na parede... Mas não o faz. E sabe por quê? Porque eu já tirei tentar tirar a minha vida por causa dele, eu não faria isso de novo.
No lugar de me arranhar, me cortar, usar todos os comprimidos da casa, eu decidi passar pro papel toda a minha dor... E até quem sabe, se meus neurônios permitirem, criar um plano que faça cabeças rolarem.
A vingança é um prato que se come frio, não é? A essas horas o meu deve estar gelado, já passou do ponto de degustar. Acho que já posso me alimentar. Afinal, eu não suporto mais essa fome!

Andresa Alvez