Aprender a viver

Aprender a viver não é uma tarefa fácil. 
A gente sempre acha que já sabe tudo. 
Como nos enganamos. 
Ainda que morramos velhinhos, não aprenderemos tudo. 
Quando pequenos, aprendemos a sonhar. 
E imaginamos tantas coisas. 
Queremos abraçar o mundo com o pensamento. 
E nessa fase, isso é possível sim. 
Então crescemos. 
E, maiores, descobrimos que é preciso correr atrás. 
Buscar aqueles sonhos todos. 
Perseguir objetivos com foco. 
Só então nos damos conta de que as coisas não são bem assim. 
Mas, ainda que difíceis, tudo é possível quando se quer. 
E ainda que nada esteja tão à mão, não se deve desistir. 
É possível aprender a fazer com que aqui estejam. 
O carro dos sonhos... A viagem inesquecível... 
Nada disso é tão distante para quem sabe o que quer. 
E também aprendemos muitas outras coisas. 
Conhecemos o valor das amizades. 
Descobrimos a riqueza e a beleza do amor. 
É verdade que nos decepcionamos várias vezes. 
Mas a decepção é parte do aprendizado. 
Errar faz parte. 
Afinal, sem os erros não entenderíamos a alegria dos acertos. 
E quando falam os sentimentos tudo muda de figura. 
Erramos muito, mas muito mais que acertamos. 
Porque sentimentos nos envolvem, nos dominam. 
Quem diz ter plena ciência do que sente, mente. 
Porque aprendemos, com o tempo, que isso não se explica. 
Tudo vem de um jeito diferente para cada um. 
Não existe fórmula para amar. 
E ninguém nasce com “bom amigo” estampado na testa. 
Tudo é uma eterna descoberta. 
Algumas pessoas dizem que é algo de química. 
Outras falam em uma transcendência acima da vida. 
Mas tudo se resume no velho e bom “aprender”. 
Assim os dias se passam. 
E trazem consigo uma nova oportunidade de aprender. 
Assim a vida se vai. 
E leva consigo todas as nossas bagagens. 
Assim nós caminhamos. 
E aprendemos todo dia novas formas de caminhar. 
Pois, sim, viver é uma grande aventura. 
O bom, então, é poder se entregar de corpo e alma a ela. 
Porque só assim aprendemos como é delicioso viver.

Leonardo Távora