Olhar pra vida

Eu caminho pela estrada, cada passo na sua vez
Meus desejos vão calados, pedras que nos dias afastarei
Sem jamais pensar em desistir, pois, como uma rocha eu volto

Em dias cheios, respiração, faço tudo o que eu quero
Eu sei bem o que eu estou hoje vivendo
Sim, é vida, não há o que desconhecer

E se o céu, este arde em chamas
Não desabe sobre mim
E a vida ensina a todos ser como um ator...

Sou um rio que passa dentro de mim
Como uma perene enchente
Falo da vida com as penas de um escritor

E eu te digo agora, com sinceridade
Quanto me alegra saber
Que nessa vida escrevi pro amor reviver

É como se esse mar, um todo
se revolvesse dentro de mim
Águas revoltas com calmarias, enfim
Você já fez alguma coisa com amor?
Já conversou com o vento?
Já preencheu seu coração?
Eu paguei e apostei várias vezes nessa mania
Afinal, essa vida segue sendo minha
Sigo fazendo-a de forma sempre sadia

E tenho que dizer de quando você entrou nesta história
O quanto acreditou nesses devaneios
No amor, nas voltas da vida...

Leonardo Távora