Pra poder sonhar

Todas as nossas madrugadas. Todas as suas gargalhadas, cada uma, principalmente as que te faziam chorar.
Os beijos! Os mais tímidos, os envolventes, os que foram dados com Amor. 
As tardes, todas as intermináveis tardes; as que passávamos escrevendo, compondo, cantando, ouvindo, brigando sobre o futuro ou sonhando. 
As conversas, aquelas que duravam até o dia clarear, ou até o sono nos vencer.
Os segredos, principalmente os que você acha que eu não guardei.
O teu toque, sempre tão diferente dos outros, tão particular... Que mesmo longe, só de lembrar, me faz sentir algo que eu nunca consegui descrever.
A tua voz. A voz de quando você acabava de acordar, aquela depois de fumar um ou dois cigarros.
As tuas canções, cada uma delas, as que ninguém nunca ouviu, as que só eu sei cantar.
Ah, a brisa. Ou as brisas, todas elas; as no seu quarto, na calçada, na escadaria da igrejinha, na casa de alguém.
As visões lunares, as de fim de tarde, aquela do trapiche, as do nosso terraço.
Juntei tudo isso e guardei em baixo do meu travesseiro, para assim, todas as noites, sonhar com você, e com todas as nossas boas lembranças.

Andresa Alvez