À musa dos poetas

Será possível contar 
Quantos olhos já observaram seu esplendor? 
Diga-me, se souber 
Quantos foram os sorrisos que se abriram ao te ver. 
Acho difícil que você saiba contar. 
Afinal, todos os passamos. 
Mas você, ah... Você permanece. 
Sabe quantas canções foram feitas para você? 
E as poesias? Muitas. Não é mesmo? Várias!
Há no mundo sempre um poeta 
Sóbrio ou ébrio 
Que não se cansa de falar de seus encantos. 
Será que você se importaria 
Que eu lhe fizesse mais uma 
Apenas alguns versinhos 
Ou apenas algumas linhas... 
Ah, não há como nessas noites deixar passar 
A intensidade e o prazer de contigo estar. 
Dá vontade de cantar, 
Mesmo com essa voz rouca e pouca que tenho, 
Os lindos versos que aprendi cedo. 
Me dá vontade de sair pelas ruas, 
Sonolentas ruas da cidade que sonha, 
Declamando versos, e mais versos, e mais... 
Realmente, deve Deus ter o maior carinho contigo 
Certamente ele a criou 
Para o deleite dos apaixonados, 
E a companhia dos corações solitários. 
Eu, que sou apenas mais um que passa, 
Sou também mais um que veio falar, 
Da beleza que tem essa lua cheia de graça.

Leonardo Távora