O Medo da Rosa

"[...]Sua flor lhe havia contado que ela era a única de sua espécie em todo o universo.
E eis que havia cinco mil, igualzinhas, num só jardim!"

E nunca tinha passado isso pela minha cabeça. A idéia de que existiam milhares de Rosas espalhadas pelo mundo a fora.
Não pensava talvez, porque sempre o mantive ocupado. Ocupado com larvas, espinhos, redomas.
Enquanto ele não fosse para fora do seu pequeno planetinha, eu seria a única Rosa no mundo. A única da minha espécie, a única que ele conhecia e Amava.
Porém, ele não podia ficar para sempre ali, vendo cada pôr do sol, tirando baobas da terra e fazendo coisas simples. Ele não podia. Por isso ele foi. Por isso, o deixei ir.
Nós tínhamos a eternidade juntos, e ficar alguns anos longe um do outro, se resumia a nada perto do que o futuro nos reservava.
Mandei tirar a redoma e todo resto. Como eu ficaria sozinha, agora precisava das larvas. Elas me fariam uma boa companhia apesar de sua aparência ser muitíssimo desagradável, pobrezinhas.
E assim foi! Contra meu desejo, contra meu coração, mas a favor da minha vontade, e da felicidade dele.
E foi então, que passou pelo jardim. E nele, viu Rosas exatamente iguais a sua. E experimentou o perfume de cada uma delas. Tentou cuidar de algumas, colocar em uma redoma. Livrou-as das larvas, regou-as. Tratou como tratava a sua Rosa.
Talvez, sua Rosa tenha pecado em certos pontos, ao dizer que era a única de sua espécie. Da espécie, talvez não, mas era a única no mundo. Para ele.
Sua Rosa era como uma ilusão. Ela existia e não existia, tudo ao mesmo tempo.
E por mais que ela o Amasse, ela morreria. Por ele.
- E eu conheci alguém... – E pela primeira vez, a Rosa se fez forte. Não fez seus dramas, porém, não sorriu.
Após provar o perfume de muitas Rosas, você pode se cansar, ficar farto, enjoar.
E mesmo a sua, sendo igual a todas as outras, o perfume dela jamais poderá ser comparado. Você vai pensar em voltar atrás, tirar as larvas que ficaram sobre ela, regá-la a cada da manhã. Mas, não fará. Agirá contra o desejo dela, contra o coração dela, mas a favor da felicidade de vocês dois.
Você terá que ser forte! Deixe as Rosas, os Gira Sóis e todas as outras flores de lado. Pois uma, apenas uma, está sozinha, suportando as larvas.
Contra o desejo de vocês dois, contra o coração de vocês dois, mas a favor da felicidade. A favor, de esperar a felicidade chegar.

"Sois belas, mas vazias. Não se pode morrer por vós. Minha rosa, sem dúvida um transeunte qualquer pensaria que se parece convosco. Ela sozinha é porém mais importante que vós todas, pois foi a ela que eu reguei. Foi a ela que pus a redoma. Foi a ela que abriguei com o para-vento. Foi dela que eu matei as larvas. Foi a ela que eu escutei queixar-se ou gabar-se, ou mesmo calar-se algumas vezes. É a minha rosa."